Brasil, 06 de Dezembro de 2021
31 de dezembro de 1969

Sol de inverno também “estraga” a pele

Sol de inverno também “estraga” a pele



Sol de inverno também “estraga” a pele

Esta época do ano costuma ser “traiçoeira”, já que apresenta neblina e frio bem cedo, sol forte entre 10h e 15h, queda brusca de temperatura ao final da tarde e frio durante toda a noite. Conclusão: banhos quentes, roupas quentes e quase nenhuma proteção solar, o que acaba ressecando e comprometendo a pele.

A dermatologista Samantha Neves, sócia do Centro Médico Integrado Vittà, de São Paulo, aponta as regiões do corpo que mais sofrem: “No rosto, as áreas mais sensíveis são abaixo dos olhos, orelhas, nariz e lábios. O pescoço é outra parte sensível à exposição indevida ao sol, bem como ombros, costas e dorso dos pés”.

A médica defende a idéia de que “proteção solar não significa apenas o uso de um produto no verão. Tem de ser um hábito de vida”, já que é o principal meio para se evitar o câncer de pele. Samantha lembra, ainda, que há vários produtos no mercado que contêm fator de proteção solar: “Hoje, devemos fazer uso de protetor labial, maquiagens e hidratantes, todos com no mínimo FP15. Além disso, pessoas com cabelos finos, calvas ou carecas devem proteger o couro cabeludo com bonés, chapéus ou bandanas”.

 

 
Mais notícias sobre Notícias do Setor | Voltar
ÁREA DO EXPOSITOR e MONTADOR
Usuário
Senha
Usuário
Senha