Brasil, 06 de Dezembro de 2021
04 de novembro de 2021

gal,: modelo de negócios inovador e expectativas espetaculares

gal,: a primeira rede agregadora de salões do mundo é brasileira e gera transformações de impacto positivo no mercado

Muito mais do que uma boa ideia, um modelo de negócio totalmente alinhado ao novo momento do mundo - que pede por inovações que priorizem a relação "ganha-ganha" - e com objetivos focados em oferecer ao mercado de salões de beleza oportunidades reais de crescimento, desenvolvimento, profissionalização e valorização dos profissionais, sustentabilidade claro, sem deixar de lado o aumento de lucratividade.

Assim é a gal, primeira rede agregadora de salões do mundo, fundada por Carolina Mendes, em março de 2020 (sim, eles começaram pouco antes do início da pandemia de Covid-19) na cidade de São Paulo.

A empresa, que hoje conta com uma equipe de cerca de 60 colaboradores com expertise em diferentes segmentos de mercado, seleciona salões de bairro, que passam a fazer parte de sua rede e ganham nova fachada e nova decoração interna, sistema de gestão, acesso a produtos e tratamentos de grandes marcas, treinamentos para profissionais entre outras coisas.

A ideologia da gal, (que tem o nome baseado na forma descomplicada e simples de "girls" e na continuidade, representada pela vírgula) é que os salões de bairro possam fazer parte da rede para conseguir aumentar o seu faturamento através da profissionalização do negócio. E mais: o salão não faz nenhum aporte ou investimento inicial.

"A gente é quem investe no salão"

Com pouco mais de um ano de operação, a gal, já conta com cerca de 50 salões agregados e mais um laboratório, a gal, Lab, e se tornou a maior rede de salões de beleza da capital paulista. Os resultados espantam, mas o negócio está indo tão bem que a expectativa até o fim de 2021 é conquistar a marca dos 150 salões e gerar R$ 50 milhões em faturamento.

Para fazer tudo isso rodar, a empresa conta com investidores que realmente acreditam no modelo e já soma em aportes recebidos 40 milhões de reais (cerca de US$ 7,5 mi) de importantes fundos do mercado como Monashees, Canary, José Galló (Presidente do Conselho da Renner) e Renato Freitas (fundador da 99).

Quer entender mais sobre como surgiu, como funciona e no que se baseia a gal,?
Acompanhe nossa entrevista com a Carolina Mendes:

HB - Conta pra gente um pouco da sua trajetória até chegar no modelo da gal,?
Carolina Mendes -
Eu costumo dizer que não nasci empreendedora, eu me descobri empreendedora. E ainda no começo da vida no mercado financeiro, eu me encantei com o poder empreendedor através de tecnologia e enxerguei que mesmo sem ser uma ONG é possível criar impacto positivo na sociedade. Esse foi o olhar que me guiou desde o começo até chegar no modelo da gal,.

"A intenção, desde o começo, foi ajudar o empreendedor"

HB - Certo! E a chegada no universo da beleza? Como aconteceu?
Carolina Mendes - 
Bem, antes de tudo acho importante dizer que sempre quis trabalhar com mulheres! Eu cheguei ao mercado dos saões de beleza quando criei a LaPag (fintech de gestão e pagamentos para salões de beleza) e ficou muito claro que este era um dos mercados que tinham as maiores oportunidades no Brasil e no mundo e eu queria estar perto das mulheres que estão ganhando, dia a dia, mais o poder de escolha e consumo.

HB - Então vamos começar do começo. Você pode contar um pouco sobre a criação da LaPag?
Carolina Mendes -
 Claro! No primeiro momento, de viver o mercado financeiro, eu tinha uma visão muito financeira e analítica das coisas, mas uma curiosidade grande de saber como os salões de beleza funcionavam na parte trabalhista, tributária, etc. e assim fui descobrindo grandes rombos nos negócios. Neste momento, o fato de não ser do mercado, me permitiu inovar e criar a LaPag. Não foi fácil e nem do dia pra noite. Para conseguir começar o negócio, vendi brigadeiros, andei muito e tudo mudou quando encontrei um investidor, o Renato Mendes, que acreditou e apostou verdadeiramente na minha ideia. 

HB - Aí começou a história da LaPag, certo?
Carolina Mendes -
Isso! Montamos uma empresa de verdade, com escritório, investimento, mais dinheiro, etc. Inicialmente s LaPag era uma maquininha de cartão e, de um forma lenta e orgânica, fizemos uma transição importante e passamos a ser uma solução de tecnologia, seguindo o que estavam pedindo os nossos clientes da máquina do cartão. Criamos agendamento online, gestão financeira de salões, etc. A nossa inteção, desde o começo, foi a de ajudar o empreendedor. A gente nunca cobrou por este sistema, ele é totalmente gratuito. Isso mostra que a nossa proposta sempre foi consistente!

HB - E como foi o pulo da LaPag para a gal,?
Carolina Mendes - 
Bem, tinham muitos salões perto do nosso escritório e tínhamos muita proximidade com os gestores, foi aí que eu comecei a entender que mesmo a tecnologia para salões sendo muito importante, em um mercado com tanta informalidade e com tanta parte da operação acontecendo no offline, para ser realmente impactado, o salão precisava de muito mais. E a gente tinha uma coisa muito valiosa na mão: informação! Com dados reais, a gente conseguia medir e compreender muitas coisas. Aí eu dei o passo mais ousado da minha vida que foi decidir criar uma rede agregadora de salões!

"Nosso conceito é o de trazer o melhor salão por bairro para a rede"

HB - Explica pra gente como surgiu a ideia de uma rede agregadora de salões?
Carolina Mendes -
Eu já tinha visto em vários mercados o modelo de negócio "agregador" e aí pensei: "e se a gente se juntasse para ter mais poder?" Poder no sentido de investir em marketing de uma forma mais global, treinamentos, centralizar compras, aumentar o poder de compra! Apresentei a ideia para alguns investidores e tenho hoje comigo pessoas incríveis que apostaram na gal, e permitiram que a gente fizesse as coisas de uma forma organizada.

HB - Qual é o investimento necessário de um salão para fazer parte da rede gal,?
Carolina Mendes - 
Para entrar na gal, o salão não precisa fazer nenhum investimento. A gente é quem investe no salão. A ideologia da rede agregadora é ser um negócio "ganha-ganha", ou seja, se um cresce, todo mundo cresce.

HB - E como funciona, na prática, a entrada de um salão na rede gal,?
Carolina Mendes - 
Nosso conceito é o de trazer o melhor salão por bairro para a rede e hoje existe um processo seletivo para os salões que querem fazer parte da gal,. Na essência, o salão precisa compreender nossos valores e estar alinhado a eles, também precisa ter uma preocupação com qualidade, estar aberto a mudanças, ter uma boa saúde financeira e estar em conformidade com a lei.

HB - Qual é a contrapartida? O que o salão precisa fazer para ser gal,?
Carolina Mendes -
Depois que o salão entra para a rede, ele passa a contribuir com cerca de 10% do seu faturamento. Fazendo uma conta objetiva, o valor volta em maketing, compras, treinamentos, etc. Tudo isso custaria de o salão fosse fazer separadamete.

"A rede agregadora é um negócio "ganha-ganha", ou seja, se um cresce, todo mundo cresce"

HB - Legal, depois que o salão é aprovado no processo seletivo, o que acontece?
Carolina Mendes - 
Depois da aprovação ele passa pela transformação do espaço físico, desde a fachada, que deve ser chamativa, passando pelas informações claras que devem estar disponíveis em lugares fáceis, espaços instagramáveis até o detalhe do espaço do café, além de treinamentos, alinhamentos de metas para os próximos meses e cursos obrigatórios. Depois de três dias, o salão já está pronto para começar suas atividades sendo um salão gal,.

HB - A área de atuação gal, é estado de São Paulo, apenas?
Carolina Mendes - 
No momento atendemos São Paulo e grande São Paulo, mas temos sim planos de expansão para outro estado, mas por enquanto a gente deve continuar expandindo as cidades dentro de São Paulo mesmo.

HB - É um modelo de negócio inovador e que tem dado certo por tudo o que conversamos. Quais são as expectativas para o fechamento do ano?
Carolina Mendes -
Nossa expectativa para dezembro é que os salões que estão com a gente hoje tenham resultados maiores do que tinham em 2019, no momento sem pandemia. E quando olhamos para 2022, eu acho que teremos um gasto em beleza por mulher maior do que a gente tinha em 2019 e isso nos faz ter uma expectativa muito boa, baseada em dados concretos.

HB - E se falarmos de gal,?
Carolina Mendes -
Seguiremos expandindo! Hoje, temos cerca de 50 salões agregados e devemos chegar ao final do ano com cerca de 100 salões fazendo parte da rede!

Para conhecer mais sobre a gal, acesse o site.
E acompanhe mais notícias sobre a inovadora rede agregadora de salões no site da Hair Brasil nas próximas semanas.

 

 
Mais notícias sobre Notícias do Setor | Voltar
ÁREA DO EXPOSITOR e MONTADOR
Usuário
Senha
Usuário
Senha