NOTÍCIAS [página inicial] [voltar]
12/12/2011


Intercosmetic de olho na Bolsa de Valores


O Bovespa Mais pode ganhar outro participante no próximo ano. A Intercosmetic Holding, empresa pré-operacional que visa a consolidação do setor de salões de beleza, pretende pedir a análise prévia para listagem no segmento de acesso da BM&FBovespa já nas próximas semanas, afirmou Alexandre de Souza Azambuja, diretor de Relações com Investidores. A Intercosmetic solicitou na última semana o registro de companhia aberta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A entrada no Bovespa Mais se daria sem uma oferta inicial de ações. A ideia é dar visibilidade à marca e capitalizar a empresa com a entrada de investidores estratégicos por meio das negociações do mercado de balcão.

Azambuja afirma que já está em conversas com possíveis parceiros e alguns futuros sócios já detém opções de compra de participações na Intercosmetic. "Essas opções devem ser realizadas assim que concretizarmos a listagem", diz, sem citar nomes ou valores.

A Intercosmetic foi criada em junho de 2010 com o intuito de consolidar o setor de salões de beleza. A estratégia inicial é adquirir salões avulsos e pequenas redes e colocá-los sob a bandeira da empresa, para, em seguida, estender a marca através de crescimento orgânico a partir de um sistema de franquias.

O modelo foi inspirado na Regis Corporation, listada na bolsa de Nova York, com valor de mercado de R$ 934 milhões. A empresa americana tem 12.700 salões de beleza espalhados pela América do Norte, Europa e Ásia - seja em sistema de propriedade integral, sociedade ou franquia - e, ano fiscal encerrado em junho, registrou receitas de R$ 2,3 bilhões. "Na América Latina, as maiores redes têm 64 salões", afirma Azambuja para dar a medida do espaço para consolidação no segmento.

Passada a fase inicial e com uma base de salões já mais ampla, a empresa pretende seguir na verticalização do setor, com a produção de cosméticos de marca própria. Conforme Azambuja, a presença no Bovespa Mais facilitaria uma oferta inicial de ações para financiar esse projeto.

Atualmente, a Intercosmetic é controlada por Oziel Figueiredo, com 92% do capital, cujo principal negócio é a Codal, empresa de serviços alfandegários. A participação de Figueiredo, no entanto, deve ser diluída com a entrada de novos investidores, afirma Azambuja.

Além de diretor com Relações Investidores, Azambuja detém 0,16% do capital da Intercosmetic e é presidente da Templeton Trust Investimentos, que detém uma participação de 7,6% na companhia.

Fonte: Jornal Valor online
envie este texto
para um amigo
versão para impressão